Cinesala

O Cinesala é um dos últimos cinemas de rua de São Paulo. Ele funciona na Rua Fradique Coutinho desde 1962, quando foi inaugurado como Fiammetta. Desde então, ele teve vários nomes e posicionamentos, até chegar em sua configuração atual.

Para a criação da sua marca, identidade, e ambientação gráfica, usamos elementos que remetem aos cinemas de rua e ao seu universo de algumas décadas atrás. A marca lembra um daqueles letreiros de fontes móveis, que ficavam nas fachadas e que era usados para anunciar os filmes que estavam em cartaz. A letra ‘S’ em vermelho dá força à marca, mas também parece um improviso de uso, brincando com a ideia de que uma letra preta possa ter faltado e que tenha que ter sido substituída por uma vermelha. Para a ambientação dos espaços, fizemos posters com marcas e fragmentos de anúncios de cinema antigos, encontrados em jornais de época. Fizemos também a sinalização dos banheiros, pintando os pictogramas diretamente nas paredes com o uso de stencils, e identificamos os saquinhos de pipoca com carimbos.

Por acreditarmos que as ruas devem ser retomadas e ocupadas pelos habitantes das cidades, e que os espaços culturais promovem a integração entre as pessoas, ficamos muito felizes em termos participado deste projeto.

Cinesala is one of the last street cinemas of São Paulo, Brazil. It was inaugurated in 1962 with the name of Fiammetta. Since then, it has had various names and incarnations, until its current configuration.

For the creation of its brand, identity, and graphic environment, we used elements that recall street cinemas and their universe of some decades ago. The brand resembles one of those mobile font signs that stood on the facades and were used to advertise the movies that were playing. The letter 'S' in red gives strength to the brand, but also seems an improvisation of use, playing with the idea that a black letter may have been missing and that it had to be replaced by a red one. For the entrance hall, we made posters with brands and fragments of old movie ads, found in newspapers. We also did the signage of the bathrooms, painting the pictograms directly on the walls with the use of stencils, and we identified the popcorn bags with stamps.

Because we believe that the streets must be occupied by the people, and that the cultural spaces are meant to promote integration, we were very happy to take part in this project.